terça-feira, 13 de junho de 2017

Marquesa

Amor meu,
Linda prinscesa!
Pena que ainda não sabes que és minha!
Pena que ainda não sabes que sou tua!
Mal posso saber qual o teu gosto!
Mal posso esperar para tê-la nos braços!
E se teu beijo for o que espero?
E se o vício for maior do que a razão?
Que seja então!
Vou arriscar, tenho a impressão de que tenho razão.
De que, se acontecer, não será mais interrogação!
Será convicção...

Ela sabe

Ela sabe!
E se não soubesse, faria saber!
Ela quer!
E se não quisesse, faria querer!
Sutil, se insinua para mim!
Eu sei, ela sabe, nós sabemos...
É barril de pólvora, um doce veneno!
Da tensão ao tesão...
Só Deus sabe, explosão!
Se abre para ver...
Vou te pegar, você sabe!
E quer deixar acontecer!

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Futuro do Pretérito

Ela me cativava...
Me lembro de um dia, no passado, em que a vi.
Ela estava sentada, se divertia, como sempre seu sorriso lindo iluminava todo aquele lugar.
Certamente ela não estava ali por mim, mas eu podia vê-la e admirá-la.
Eu cantarolava uma ou duas canções, e a fitava no intervalo entre as notas.
Naquela época era o que eu mais gostava de fazer, ainda é.
Anos passaram, amores também...
Então, em um dia lindo de sol, eis que aquela musa, do sorriso iluminado e cativante, aparece novamente em meu caminho.
Ainda mais exuberante, como sempre, acompanhada.
Seria eu uma vítima dos desastrados desencontros do amor?
Ou uma humilde escrava de um sorriso platônico, fadada a meros sonhos do que não acontecerá?
Mas como artista e poeta, sei que o anseio do beijo não dado, dá lugar à explosão de sentimentos quando ele acontece.
Então está decidido, esperarei o tempo ou destino decidirem sobre qual o momento cósmico perfeito, para que se materialize, meus mais constantes sonhos.
Ainda que dure anos, amores e desamores...

sábado, 11 de junho de 2016

Mais feliz

Queria te fazer mais feliz,
Mais leve.
Queria que quando dormisse triste,
Pudesse acordar ao meu lado,
Alegre...

segunda-feira, 5 de maio de 2014

Há tempos

A cada beijo seu, um arrepio.
Sua boca macia parece conhecer a minha,
Há muito tempo não tinha mais,
as borboletas passeando em meu estômago.
Fico nervosa, como adolescente,
Minhas pernas não param de tremer,
Quando estou perto de você.
É arriscado te querer,
Mas o risco vale a pena,
Tê-la nos braços vale cada segundo de risco,
E se beijá-la é um risco,
Vou me arriscar ainda mais,
Pois seu beijo, ah, dele não abro mão!

Em plena noite

O sol brilhou intensamente,
Em plena noite o vi reluzente, bem diante de mim,
Enquanto tive teu olhar me fitando,
Com ar de curiosidade e desejo.
E como não querer mais,
Como ignorar tal acontecimento, se quero mais,
Mais de você, mais de nós...
Agora me resta sonhar com um beijo mais,
Ainda ébria de você, ainda sonhando você,
Ainda querendo você...

Partida

Estou de partida, até quando?
Depende de quando queres que eu volte.
A partida não é um adeus,
Porém a presença não pode, não deve ser atrevida.
Tem que ser solicitada, bem quista.
Pois uma vez compartilhada, não pode ser desatada.